4Linux e Debian Women ministrarão curso inicial de administração de sistemas para meninas no FISL

A 4Linux com a colaboração do grupo Debian Women  ministrará uma edição, inteiramente gratuita para 50 mulheres, de um Curso inicial de Administração de Sistemas para meninas no FISL. O objetivo da iniciativa é permitir que mais mulheres participem de projetos de colaboração livre, como é caso do projeto Debian. O mercado de TI ainda apresenta uma significativa desproporção de gêneros, sendo majoritariamente preenchido por homens.

O curso terá um total de 9 horas, sendo realizado nos três primeiros dias do evento: 29, 30/06 e 01/07. Recomenda-se que as alunas levem seus laptops, para acompanhar o curso. O conteúdo, porém, será organizado de modo que as participantes assimilem o conteúdo mesmo sem o auxílio de um computador. A 4Linux emitirá certificados. Somente poderão se inscrever no curso aquelas que tiverem se inscrito no FISL12, uma vez que o curso será realizado dentro do evento.
As aulas serão ministradas por Fernanda G. Weiden, que utiliza o Debian desde 2003 e atualmente trabalha para o Google, em Zurique na Suiça. Além de participante do grupo Debian Women, ela é uma das organizadoras do FISL, fazendo parte da Free Software Foundation Europe.

A 4Linux entrevistou Fernanda, a respeito de suas expectativas com relação ao curso e ao mercado de TI para mulheres.

4Linux: Atualmente você é uma das mais destacadas representantes femininas no mercado de TI. Qual o seu conselho para uma jovem estudante que esteja buscando espaço neste mercado majoritariamente masculino?

Fernanda: Primeiramente, eu não acho que seja uma das mais destacadas representantes. Existem muitas outras mulheres que conheci que estavam em posição de extremo destaque em organizações técnicas como a minha. Nos vários anos em que tenho trabalhado em TI, uma das coisas que eu percebo é que muitas mulheres tentam fazer com que o fato delas serem mulheres seja imperceptível aos olhos de seus colegas, para não se sentirem "diferentes". Eu acho isso um grande erro. Diversidade é sempre uma coisa boa, e nenhuma mulher neste mercado deve se sentir mal por ser diferente. Hoje em dia, fala-se muito em diferencial competitivo. Ser mulher também é um diferencial competitivo. Além disso acho que instrução é muito importante, mas não somente instrução formal, especialmente quando falamos de Software Livre.  Procure por cursos, mentores e outras pessoas e grupos que possam ajudar a chegar aos seus objetivos e adquirir mais conhecimento. E fique sempre atenta às chances que aparecem, porque muitas delas não voltam se você deixar escapar. Algumas vezes sacrifícios são necessários.

4Linux: A quem se destina o curso? É necessário que a participante já conheça algo a respeito de Linux e Software Livre?

Fernanda: Este curso se destina a meninas, mulheres de qualquer idade que queiram aprender mais sobre as bases do sistema operacional GNU/Linux. Não é necessário nenhuma experiência nem conhecimento em Software Livre ou GNU/Linux. Minha ideia é mostrar como o sistema funciona, e quem sabe, despertar a curiosidade de algumas delas para seguirem buscando uma carreira técnica nessa área.

4Linux: Qual seu principal objetivo ao se oferecer voluntariamente para ministrar uma atividade como esta?

Fernanda: Existem dois grandes problemas com a participação feminina em TI. Um deles é atrair as mulheres, e outro é mantê-las. Eu acredito que para mulheres interessadas em começar, ter uma instrutora, ou uma mentora é muito importante, dá um sentimento de conexão com outras pessoas que estão em situações parecidas. Um ambiente onde você é a única mulher é sempre tenso para a minoria, e eu gostaria que, pelo menos dessa vez, essas meninas e mulheres estivessem a vontade para aprender, perguntar e até ensinar umas as outras.

4Linux: Em 2008 você foi citada em um artigo de Nathália Torezani, do iMasters, intitulado: A mulher nos mercados de internet e de tecnologia. Agora, em 2011, houve algum avanço no que diz respeito a posição da mulher neste mercado?

Fernanda: Infelizmente o assunto "mulheres e tecnologia" acabou deixando de ser matéria há uns anos. Eu não sei se isso está relacionado ou não, mas o fato é que o engajamento de mulheres na comunidade Software Livre tem sofrido com isso. Os problemas ainda são os mesmos, e estão aí e até piores em alguns aspectos. Trazer equilíbrio de gênero para o mercado de TI é algo que vai demorar algumas gerações, mas eu não desisto.

Inscreva-se no curso:

Para se inscrever é necessário ter se inscrito, também, no FISL12. Se você já estiver inscrita no FISL12, preencha este formulário.
 
Por tratar-se de uma atividade especial, de incentivo à participação feminina no meio tecnológico, apenas mulheres poderão se inscrever e receber o certificado.
 
Obs.: Caso o número de mulheres interessadas não atinja a lotação da sala, abriremos para o resto do público, porém, sem inscrições antecipadas.
 
 

Horário das aulas:

Ao todo serão 9 horas de oficina, nos dias 29, 30/06 e 01/07. As aulas serão sempre das 12h às 15h (horário de Brasília), os inscritos receberão em seus e-mails o número e localização da sala. 

DEIXE SEU COMENTÁRIO: