Governador do Rio de Janeiro sanciona projeto de lei que beneficia formatos abertos

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, por meio do projeto de lei 5978/2011, de 24 de maio de 2011, dispôs que órgãos e entidades da administração pública, bem como empresas sob controle estatal, adotem preferencialmente formatos de arquiv...

Friday, 15 de July de 2011

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, por meio do projeto de lei 5978/2011, de 24 de maio de 2011, dispôs que órgãos e entidades da administração pública, bem como empresas sob controle estatal, adotem preferencialmente formatos de arquivos abertos para a criação, armazenamento e disponibilização de documentos digitais.

Na prática, o projeto aponta para a maximização do uso de padrões abertos na esfera pública, o que aumentará ainda mais a notoriedade deste tipo de formato, que já vem sendo adotado em grande escala pelos usuários domésticos e mesmo corporativos. A 4Linux ministra cursos, sobre toda a suíte BrOffice. E possui, inclusive, modalides especiais de adaptação para o usuário MS-Office, como é o caso do curso:

Além deste curso, oferecemos:

Esse tipo de formato aberto, para a criação, edição e disponibilização de documentos digitais possui um nome em especial, trata-se do ODF, que é a sigla para: Open Document Format, ou "Formato de Documento Aberto", em português. A adoção de Sérgio Cabral, de um padrão ODF, não é inédita, há algum tempo o governo da África do Sul adotou o padrão nacionalmente. Seguindo a mesma linha, o governo da Malásia adotou o ODF em 467 escolas do país.

O grande triunfo do ODF sobre os formatos proprietários reside na liberdade e segurança que ele assegura aos seus utilizadores. Quem utiliza formatos proprietários é refém do desenvolvedor do software em questão, depende das ferramentas desenvolvidas por ele para abrir e gerenciar seus próprios documentos. Outras ferramentas até podem abrir estes documentos, mas nunca com a mesma eficácia que a ferramenta nativa, produzida pelo proprietário do software. Com formatos livres, a própria empresa pode desenvolver uma solução para o gerenciamento de seus documentos, atualizar seus sistemas e desenvolver funcionalidades, sem precisar esperar pela providência de qualquer empresa proprietária de software. Pensando nestes aspectos, é fundamental que o profissional da área de TI conheça este tipo de padrão, e saiba manipulá-lo, em um cenário cada vez mais propício ao ODF.

Compartilhe esta página